A seção FLASBACK é para séries antigas e canceladas. DÚVIDAS? REVIEW DE EPS. PILOTS são para as pessoas que estão a procura de séries novas e querem saber se ela vale a pena assistir ou não, então nela haverá reviews somente de primeiros episódios das séries novas que estão chegando.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Review: Whitechapel - Season 1

Uma das melhores séries britânicas sobre investigação.


Whitechapel não é nenhuma série comum, ela retrata os assassinatos de Jack - The Ripper. Diferente das séries americanas, os britânicos gostam muitas vezes de fazer apenas três episódios por temporada, como Whitechapel e Sherlock, retratando Sherlock Holmes nos dias atuais, que por sinal são séries excelentes. Gosto deste estilo britânico porque não tem nenhuma enrolação sobre a história principal, é tudo muito bem retratado e a cidade de Londres é praticamente sempre o centro de tudo. Eu sou apaixonada pela Inglaterra, pela sua cultura, pelas pessoas, e principalmente pela sua história. Tudo que eles fazem são excelentes, especialmente as séries de Tv. Whitechapel não fica de fora neste departamento, e como eu sempre fui atraída por todo o mistério de Jack - The Ripper, a primeira temporada se tornou algo muito memorável para mim, a escrita foi uma obra - prima! A série trouxe um copiador incrivelmente fiel aos assassinatos de 1888, e mesmo sabendo o local, data, hora das mortes, foi tudo imprevisível para os detetives.

No episódio 1 conhecemos o time que logo se juntarão para um caso que eles nunca vão esquecer. DI Chandler é novo em seu cargo, um homem jovem que possui OCD, que se torna chefe dos investigadores na Whitechapel Police, e diferentemente de muitos chefes ele mergulha no trabalho e começa a fazer especulações sobre o atual caso, que é sobre uma mulher que foi estripada em Whitechapel. O primeiro episódio é sobre se o caso é ou não é sobre um copiador de Jack - The Ripper. DI Chandler é o único que acredita, ele na verdade é bem convincente, pois tudo se encaixa no assassinato de Mary Ann Nichols, em 31 de Agosto de 1888. E como Chandler é o chefe todo o grupo de investigadores ficam de tocaia no local que a próxima de Jack foi executada para ver se eles conseguem pegar o suposto copiador. Esse episódio é bem tenso pois sabemos que é um copiador e ver todo mundo fazendo graça sobre o assunto dá muito nos nervos. 


Um Ripperologista é introduzido na história porque ele sabe de tudo sobre os assassinatos, até nos mínimos detalhes, é isso que os Ripperologistas são, eles sabem de tudo. No episódio 1 ele é tratado como uma piada, assim como no segundo episódio, mas não no terceiro. O final do Episódio 1 é um ótimo final, um grande chiff-hanger e a confirmação de que um copiador de Jack - The Ripper está atacando as ruas de Londres. A série não chega a ser violenta, mas as mortes das vítimas estripadas aparecem e como é uma recriação do que realmente aconteceu em 1888 ficamos com um gosto salgado na boca. É tudo muito real, há sangue para toda parte, tripas sobre os ombros, rostos arrancados, órgãos retirados e postos em outros lugares... Não é a toa que a história de Jack - The Ripper é tão falada até hoje, houve apenas 5 assassinatos (que sabemos) e o estado da violência é com certeza uma das piores, e por ele nunca ter sido pego torna toda a história sobre ele ainda maior do que já é.

No Episódio 2 tudo é retratado mais seriamente, eles tem a confirmação e vão atrás de qualquer pista que podem os levar para o copiador, cada passo é importante. O dia 30 de setembro foi um dia muito importante para Jack - The Ripper, conseguindo matar duas mulheres no intervalo de 45 minutos, e DI Chandler e a equipe estão dispostos a fazer de tudo para que os assassinatos não ocorram, mas a imprensa finalmente está a par da situação, há pessoas curiosas para toda parte, há caos e distrações e é retratado o assassinato de Catherine Eddowes, de 30 de setembro de 1888.

O Episódio 3 é o último, e nele é tudo incrivelmente sério, as pessoas já estão enlouquecidas com tudo que está acontecendo, os policias estão com uma imensa pressão sobre suas costas, e como o copiador de Jack - The Ripper é meticuloso, eles começam a pensar que ele escapará também. Temos grandes e sólidas pistas neste episódio, temos mais história e fotos reais de o verdadeiro Jack - The Ripper, assim como uma suposição de quem ele realmente foi. DI Chandler consegue descobrir que é o copiador e a cena final é com certeza a mais tensa de toda a primeira temporada. 

A morte de Mary Jane Kelly em 9 de novembro de 1888 é a mais violenta de Jack, ele destruiu seu rosto, removeu seus seios, a estripou completamente e arrancou a pele de suas coxas. Seu coração foi removido e nunca foi encontrado. (Há até fotos verdadeiras do crime na internet se quiserem ver) Nas cenas finais sabemos quem o copiador é, o vemos no apartamento da vítima, fazendo seu ritual, e enquanto isso a polícia está tentando encontrá-lo. É tudo muito tenso pois enquanto eles procuram por ele, o copiador já está com a vítima, já está levando-a para a cama e está pronto para começar toda aquela monstruosidade. Temos confrontos e respostas e com isso a primeira temporada fecha com uma chave de ouro. Quem gosta de séries sobre investigações essa é aquela que você não pode perder, ainda mais por ser sobre o assassino mais famoso do mundo. Às duas horas e quinze minutos valem muito a pena

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes